Abuso de substâncias e dependência

Abuso de substâncias e dependência

  • De entre as substâncias psicoativas, o álcool é a mais utilizada, essencialmente por jovens, apresentando valores superiores quando comparado com as substâncias ilícitas.a
  • É importante fazer a distinção entre o abuso de drogas e de álcool e a dependência deles.
  • Não é muito difícil cruzar a linha que os separa, sendo extremamente importante evitar a progressão para um estado de dependência antes que surjam problemas graves.

Um indivíduo com, no mínimo, três destes critérios é diagnosticado como “dependente” (OMS, ICD-10).

Só é possível fazer um diagnóstico definitivo de dependência se três ou mais dos

Seguintes critérios tiverem surgido em algum momento dos últimos 12 meses:

  1. Forte desejo ou sensação de compulsão para consumir substância;
  2. Dificuldade em controlar o consumo da substância, em termos de início, fim e níveis de consumo;
  3. Estado de abstinência fisiológica quando a utilização da substância terminou ou foi reduzida, tal como evidenciado pelo síndrome de abstinência, ou quando a substância (ou outra semelhante) é utilizada para aliviar ou evitar os sintomas de abstinência;
  4. Evidência de tolerância, sendo necessárias doses cada vez maiores da substância psicoativa para atingir os efeitos inicialmente produzidos com doses menores;
  5. Abandono progressivo dos e interesses e prazeres em detrimento da utilização da substância psicoativa; ou maior quantidade de tempo necessário para obter ou consumir a substância, tal como para recuperar dos seus efeitos;
  6. Persistência no consumo da substância, apesar de indícios evidentes das consequências prejudiciais para a saúde, tais como: dano hepático causado pelo consumo excessivo de álcool, humor depressivo a seguir a períodos de abuso da substância, perturbação da função cognitiva associada à substância. Neste caso, deve ser feito um esforço para determinar se o consumidor está realmente consciente da natureza e da extensão dos danos.